segunda-feira, 24 de setembro de 2012

vazio

O que é viver?  Esta pergunta tem-me afectado o pensamento de uma maneira que tão cedo nao pensei que fosse afectar. Somos obrigados todos os dias a um novo desafio independentemente se estamos ou não preparados para isso... Já não sei viver e isso é um facto! A multidão assusta-me, os olhares inseguram-me, as conversas paralelas afectam-me. Sinto que pertenço a todo o lado e a lado nenhum... Tenho saudades da Soraia de Outrora. Essa ninguem afectava, nada temia e tudo dizia. Fui embalado num turbilhão de problemas e não tenho capacidade de sobreviver a nenhum. Sei que não existe solução para isto a não ser força de vontade mas até essa se desvaneceu... já não me reconheço.
Se o amanhã me traz mais problemas eu nao conseguirei aguenta-los. Sinto-me sozinha no meio da multidao e ouço barulho no silencio. Sinto que ja nao pertenço aqui... apetece-me pegar nas malas, por uma meia duzia de coisas e voar daqui... dos problemas, dos afastamentos, das tristezas, das desilusoes, do barulho silencioso, da multidao barulhenta... estou cansada disto.
Eu não aguento mais. Sinto-me destruida. E nada ajuda.


sexto sentido ou não... sinto que as coisas ainda vão piorar. Afinal á dois anos para cá que só pioram.



SoraiaMontes

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

saudade.


Cá estou passados uns 4 meses desde a ultima mensagem... Muita coisa tem acontecido desde então, ja sofri bastante e já vivi tantos momentos de alegria, de felicidade extrema que é impossivel descreve-los. Sinto a tua falta e sei que tu sabes disso, quem mais poderia saber se nao tu... tu que me entendias melhor que ninguem, que no meu olhar vias o reflexo da minha alma, que na minha voz ao cantar percebias a dor que sentia, quem melhor que tu para vires com a palavra certa e de reconforto na tempestade. Oh meu amor, as saudades que eu tenho tuas, como é possivel eu ainda nao acreditar que partiste? pensar que um dia me irei deparar contigo a dizer que a nossa filha está grande, que o meu sorriso está luminoso e que o meu olhar está esperançoso. Arrependo-me, sabes? arrependo-me de ter cumprido a promessa que te fiz e nao ir ao teu funeral... acho que assim teria a certeza absoluta que já não cá estás. Custa perceber que os teus irmaos sentem o mesmo, que sentem que nao partiste, porque na verdade nenhum de nós sente isso. Sempre que tenho problemas, que penso nao conseguir alcançar a soluçao aparece o teu p. que me conforta e me mostra que se calhar nao é bem assim e nem tudo é um abismo... ou entao no silencio da madrugada entendo que estás cá, connosco. Porque um Mata nao abandona, um Mata cuida. Já não sou a mesma, tu irias reprovar isso com uma negativa bem redonda e pequenina, irias dizer que nao era isso que querias, que vale a pena lutar mesmo que nao o pareça, mas para quê, meu puto? Tudo o que nos aparece é problemas, sabias que voltei a reprovar, agora, no decimo segundo? Apesar de ter lutado contra tudo e todos para que isso não acontecesse, mas que ninguém acredita porque na verdade o presente mostra fracasso, sabias? Sabias que tenho tido dores insuportaveis e que me sinto mais sozinha que nunca? que o meu p. continua o mesmo, sempre que está comigo é so bocas de que nao valho nada e que so dou desperdicio. Sinto-me um fardo para toda a gente e isso cansa-me, desgasta-me, derrota-me. Tenho saudades tuas. Saudades dos momentos em que nada me derrotava em que tinha "coragem de Leoa" e garra de Mata. Que eufomismo, parece que estou a falar de outra soraia que nao eu. Afastei-me de todos os meus amigos e eles nem sequer se preocuparam com isso, ninguem me procurou, se calhar errei so ainda nao percebi onde, voltei a fechar-me em mim porque o mundo la fora parece assustador: tanta confusao, tantos olhares para enfrentar, tantas pessoas para conhecer e que ja me conhecem... para quê travar uma luta sem arremeços. È... desisti... o mundo la fora parece-me demasiado assustador e cansativo. 
Precisava tanto dos teus conselhos agora, da tua sabedoria de viver, do teu abraço apertado em que me davas um beijo aconchegador na testa como quem dizia num sussurro que é tudo da minha cabeça e tudo vai passar.
 
"A saudade de ti,
tomou conta de mim
e me mata por dentro
esta falta de amor
nunca me abandonou
desde que te perdi
a cor da solidao
pintou o meu coraçao
de magoa e sofrimento
e assim é meu viver nesta dor
sem esquecer quem se
esqueceu de mim"


SoraiaMontes.




terça-feira, 8 de maio de 2012

és um ensinamento de vida. ès o exemplo. és tu.



Esta força que hoje possuo foi de ti que a aprendi, meu enorme puto, esta força que hoje demonstro
é de ti que a emito. esta força que hoje me deixa ser o que sou é daquilo que ambos um dia fomos e
o que guardo em mim torna-me a tua leoazinha. e se sou assim... a ti te o devo. Porque me renasceste
das cinzas, quando mais ninguem quis saber, quando mais ninguem se importava, foi a tua mao que
eu vi segurar-me quando estava prestes a fraquejar deixando-me ir.
 Hoje sou capaz de sentir a chuva
 Hoje sei o que é sentir o friozinho na barriga quando se esta perto de alguem que amamos.
 Hoje sei confiar plenamente em quem está ao meu lado porque tu sabes quem me ensinou.
 Hoje sei que o vento quando sopra, sopra para nos mimar. È um sinal, dizias tu.
 Hoje sou grande, Hoje eu cresci, Hoje sou jovem quase feita mulher, Hoje sei amar, Hoje Amo-te
    Mesmo que ja nao estejas ca.
 È a ti que devo tudo.
O tempo passa mas nao cura.
Ameniza.
 Hoje oiço uma musica e procuro na letra palavras que se resumam a ti, á nossa historia, ao nosso amor.
ÈS grande. Ès meu. ès um guerreiro.
A ti te devo o que sou hoje.
Olho para a tua foto e aquilo que vejo é esperança, é felicidade, é amor, é atrevimento, é vontade.
  Vontade de fazer, sempre, mais e melhor.
Vejo-te. E Amo-te.

È... eu amo-te. Porque o mundo pode dar as voltas que der mas quando caiu so duas pessoas me percorrem o pensamento. Tu és uma delas. Ensinaste-me a ser forte.

Hoje sei que a força move momentos. "A força destroi invejas e o sorriso? Oh o sorriso muda uma vida inteira." (dirias tu, disseste-me tu... )

A tua maturidade, a tua garra, os teus ensinamentos, as tuas piadas, ahhh as tuas gargalhadas meu amor, o quanto gostava de te ver sorrir, mesmo quando no meu rosto escorriam lagrimas era o teu sorriso que me iluminava, desculpa ainda é o teu sorriso que me ilumina.
Porque és tu e eu amo-te como és.

"Lembra-te, amor, mesmo que nao me sintas. Mesmo que te pareça estar sozinha, recorda o meu olhar e sorri porque estarei a fazer o mesmo. Até logo pimpolha"

Eu digo: "Até já meu amor. Até logo leva muito tempo.... "
(nunca pensei que fosse ser tanto. um dia seremos novamente um do outro. de que maneira for. )



A minha unica certeza que queria ter, é que les isto.
Tudo o que aprendi foi contigo.
és maravilhoso.
és vida em mim. 

Amo-te muito meu paspalho.
da tua, SoraiaMontes.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

..........................................................

Cá estou, com isto aberto num quarto que me é desconhecido e uma festa a decorrer la para dentro, refugiei-me aqui para que nao estragasse o ambiente, nao merecem que o faça mas eu preciso de desabafar contigo meu amor e o nosso caderno ficou longe... sabes, tudo mudou á muito tempo, dizem que a vida é assim feita de grandes mudanças e eu concordo. Voltei a ter de parar de jogar futebol, afinal aquilo que umas pessoas diziam ser fita revelou-se ontem com o comentario feito pelo medico que me realizou uma ecografia ao respectivo e no fim afirmou isto: "tens o ombro todo modificado, muito estragado e mal tratado" afinal nao era fita, estao a ver?! E agora? Agora sou eu que sofro e sou obrigada a parar de jogar futebol, deixar a equipa neste momento desamparada porque duas das suas guarda-redes estao lesionadas, da qual uma sou eu. Já para nao te contar de que as coisas ca por casa continuam completamente surreiais, eles querem eu tenho de fazer... ahh e a escola? essa é melhor nem falar, sinceramente nao tenho vontade para estudar, sinto que tenho demasiadas coisas em que pensar e que sentar-me em frente a uma secretaria e tentar colocar mais conhecimentos por cima dos problemas se torna algo impossivel. Tem sido impossivel. Sinto aquele aperto no peito e aquela vontade continua de cometer uma loucura partindo desta para outra, melhor ou pior nao sei que nao conheço, mas fugir deste mundo as vezes trata-se de uma ambiçao... como se isto nao bastasse ouço continuamente a minha mãe a dizer o mesmo o que é algo extraordinariamente inigualavel. Que faço eu a tudo isto? Se soubesses a falta que me fazes meu amor.
Está tudo sobre mim, sabes que a estrelinha seguiu tambem o teu sonho?! é... seguiu as pisadas do pai. O pior é que com isso ficou sem tempo nenhum para outras coisas, tu sabes a que me refiro eee ja para nao falar que a mama fica com o coraçao nas maos :$ principalmente quando me diz assim como se de para-quedas que dia x vai para o mar, opa as voltas que isso me dá !!!!!!!!!!
A vida ja era complicada mas sim ti tornou-se impossivel de viver. tem sido problemas atras de problemas. quando é que isto vai parar?

Ahhh ja para nao falar que tenho de começar a trabalhar para realizar o meu sonho de ter a carta e carro. Infelizmente nunca tive nada de mao beijada, pensei que seria isto mas a sorte voltou a nao bater do meu lado. esforça-te e é se queres Soraia Montes.


Amo-te muito meu puto.

SoraiaMontes

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Vou morrendo aos poucos?!

Sinto que a cada segundo me perco mais um pouco do mundo e penso que a cada segundo sinto que perco mais um pouco de quem, um dia, julguei que fazia parte da minha vida. Dia para dia eu entendo que tudo no mundo é passageiro e que aquilo que não nos tiram num minuto é retirado em minutos sucessivos em pedaços tão pequeninos que nem nos apercebemos. Ou por isto ou por aquilo mas vai acontecendo... A única pergunta que me consome é apenas esta: quanto tempo mais vou eu resistir a isto? A mim parece-me que já perdi e apenas não quero ver, deixando-me morrer aos poucos. Como se acreditasse que o presente apaga o passado e que o passado nao interfere no futuro quando não é minimamente verdade. Deixei de ter forças para Lutar. Morri. Vou Morrendo. Estou Viva. Estou a Sobreviver. Vou morrendo aos poucos. E porquê? Não sei mas sempre me disseram que cada um tem o que merece, se calhar mereço isto.

sexta-feira, 6 de abril de 2012

reaprender a amar.

Sempre fui das pessoas que considera que os pequenos gestos mudam grandes situações. E hoje descobri o quão sentido esta frase faz em toda a minha vida... Hoje quando me sentiste mais em baixo foi o teu aconchego que me absorveu e num tom tão suave que ja nao ouvia á mais de um ano me disseste que acontecesse o que acontecesse estarias comigo... sabes o quão bem isto me soube?! Sabes que não sou fácil e quando me disseste isso surgiram uns olhinhos brilhantes que te questionaram se realmente te merecia...
És perfeito! Garantiste-me que estarias comigo quando o mundo faltasse e que não me deixarias mesmo nos dias mais horriveis, ate podes estar a mentir... porque ninguem sabe o futuro mas a verdade é que isto hoje foi uma lufada de ar fresco ouvir... e quando me respondeste que te merecia apenas por ser eu... deste-me um mundo de sonhos para o qual posso sempre viajar... são os teus beijos o meu alimento e são o tom suave dos nossos abraços que me fazem acreditar. Eu nao sabia ja o que era amar, mas hoje, digo que todos os dias o reaprendo a fazer e contigo a meu lado irei sempre querer saber mais e melhor. Porque tu mereces, porque tu fazes-me feliz, porque tu fazes-me sonhar! Amo-te muito meu amor.
(Sim, chamei-te isto meu paspalho! ès mesmo isto :$ )

o Amor é lindo... quando se é correspondido. Obrigada por tudo e até amanha puto!


dás-me um sorriso enorme quando me pegas assim, desvalorizando o meu peso :')
´




SoraiaMontes

domingo, 11 de março de 2012

penso. como será?


penso.
Como será?
Sentir-te nos meus braços, querer aconchegar-te no meu peito com o maior sentimento de protecção que algum dia serei capaz de sentir por alguém, sentir que naquele preciso momento em que te sentir a tua respiração no meu peito, em que iremos fechar-nos no nosso mundo criado em sonhos e não deixar que nada mas nada nos impeça de nos sentirmos, sentirmos que nos pertencemos... penso.
Como será?
Ter-te em meus braços, ter a pureza de te ter em meus braços. Será doloroso ter-te? Irei sofrer? Irei conseguir suportar a dor que sentirei ao ter-te?! É incrivel como apenas com dezoito anos e bem longe desta realidade no presente eu me imagino contigo no meu regaço. É sou incrivelmente maluca. Mas tantas perguntas me percorrem o pensamento, ah e quando tenho um no meu colo? Sabes o que sinto?! que daria tudo para que o tempo corresse muito muito depressa, até ao dia em que um dia te terei. O dia em que te entregarao nos meus braços depois de gritos, choro e dor, irei sentir-te perto de mim, chorando á espera que por obra de um milagre me sintas e te acalmes entendendo que é aqueles primeiros minutos que nos unirao para a eternidade. A partir desse dia, a minha vida fará sentido, irei crescer o necessário para te dar tudo aquilo a que tens direito, irei ser novamente criança e quem sabe ter aquilo que nunca tive, uma infancia, sim meu amor! Eu contigo vou ser uma autentica criança, vamos rebolar na relva, vou ensinar-te a jogar futebol, a andar com ousadia a comer com integridade e a sorrir de maneira estonteante, vou babuzar-te de beijos, vou amar-te incondicionalmente apesar dos teus erros e irei sempre orgulhar-me das tuas boas vontades para que entendas sempre o que deve ser feito. Vou amar-te!
Afinal ser mãe é isto nao é?!
penso.
Como será?
Mil perguntas surgem em avalanche esperando que lhes responda, acredito que todos nascemos com um objectivo e é para ele que vamos caminhando ao longo da vida. O meu eu sei-o, é ser mãe! Com tudo aquilo que a palavra carrega. E um dia? Este sonho puro e verdadeiro será realizado, pode estar longe bem longe de acontecer e cada vez está mais mas um dia será realizado e nesse dia?! Direi sou feliz e penso. Como será?
O tempo acabará por responder ás perguntas que sempre possui. Porque tudo tem uma resposta e todo o puzzle tem um encaixe perfeito para montar. Espero por ti, mais do que 9 meses mas sim uma vida.

ps: nao estou grávida, nem perto disso, apenas é um sonho, um sonho daqueles em que por mais que escreva nunca digo tudo o que estou a sentir, é impossivel.


SoraiaMontes

sábado, 25 de fevereiro de 2012

leitura Não aconselhavel a sensiveis!


desabafo e homenagem a um verdadeiro Herói!
Aqui á um ano, sim fez na passada terça-feira um ano, atrás perdi o meu grande amor, toda a gente o sabe... ele era tudo para mim e se por acaso pensam que aquele sorriso que mantinha a todo o segundo era apenas a minha força a manifestar-se desenganem-se, ele era a minha força. Eu nao tinha uma grande noção disso, no fundo sabia-o, sabia que estava assim porque tinha um grande Homem a meu lado. Lutamos contra muitas coisas e muita gente pensa que fui traida muitas vezes por ele o que no fim se veio sempre a revelar mentira, tudo isso foi para me proteger e nunca realmente aconteceu tal coisa. parece uma cena de cinema, é certo, mas não foi. Quando descobriu a sua doença, esteve sozinho no consultório com o médico a dizer-lhe o veredito sem qualquer apoio, julgando nós que ia apenas a uma consulta de rotina para obter o atestado para praticar o curso que ja possuia, treinador. Lembro-me que nesse dia estive com ele e não dei conta de nada, ele parecia-me tao leve, em paz, sereno e digno do nosso amor. Nunca me passou pela cabeça o que ele tinha sabido precisamente nesse dia, era impossivel saber. O mesmo aconteceu nos meses que se sucederam, comecei a estranhar as constantes constipações mas por outro lado e sendo ele um rapaz calorento em que em pleno inverno andava de t-shirt e dormia de boxers, poderia lá imaginar, eram coisas normais para quem agia assim, pensava eu.
Até á primeira recaida dele, num treino em que cai redondo no relvado e é imediatamente levado para o hospital e fica internado... a familia ficou em estado de alerta sem sequer saber do que se estava a passar, eu avisada em Portugal sem entender puto do que se podia passar fui a correr para os seus braços, perguntei-lhe olhos nos olhos o porquê daquilo e ele com a sua serenidade respondeu-me "nunca te esqueças que te amo", aquilo foi estranho... foi a primeira vez que me fugia a uma pergunta tão simples. Insisti mas nada o fazia dizer, ou melhor respondia apenas "é uma gripe". E continuava assim na incerteza de tudo...
Até ao dia em que me vai buscar á escola e estava completamente mudado, conduziu a uma velocidade minima de 120km/h em plena cidade, comigo dentro do carro, coisa completamente impossivel de acontecer se estivesse no seu perfeito juízo... nesse dia chovia e o seu olhar estava confundido entre raiva, tristeza e lágrimas, questionava-o continuamente sobre o porquê de tudo aquilo... fui levada para um rio que nos é muito e ai, ele estaciona as tres pancadas visto que o parque era só nosso, começa a correr deixando o carro aberto e a musica no maximo de volume que conseguia produzir, tudo me parecia sombrio... mas lembrei-me ao pegar no telemovel dele que o primo que lhe tinha falecido á um ano atras faria nesse dia anos... julguei ser esse o motivo da sua perturbação, mas quando tento procura-lo reparo que ja estava dentro de agua em pleno Inverno e num dia chuvoso. Esperei que saisse com toda a calma que naquele momento consegui possuir, sentei-me numa rocha deixando que a musica calma que se reproduzia atras de nós me provocasse ataraxia, o que acabou por acontecer... ele saiu, mais calmo, deixando que as lagrimas, as suas lagrimas se confundissem com a agua que lhe escorria do cabelo, chegou-se perto de mim limpando-se com a t-shirt e tentando vestir ainda molhado a camisa e num segundo estava a apertar-me nos braços com a sua maior força, absorvendo de mim a natural força que necessitava, pedindo-me que nao falasse, que nao perguntasse, apenas o deixasse assim... quieto, inerte no tempo. Na minha cabeça mil perguntas eram construidas, mas preferi nao o fazer, ele precisava de pensar e sabia que quando estivesse pronto iria partilhar tudo.
E acabou por acontecer á tarde, estavamos em minha casa aconchegados pelo calor ambiente, já não chovia la fora, tudo se tinha tornado perfeitamente agradavel porém ainda faltava entender o porque daquela explosao matinal... até que ele me diz "vamos á praia, preciso de ir ao mar". Aceitei a ideia com todo o agrado, feliz da vida por ir á praia com ele... coisa boa. Foi ai que me disse o que se passava, o porque das recaidas, dos desmaios, das constantes constipações fortes... tudo num segundo teve um porquê. Fiquei quieta, inerte no tempo, como se tivesse até de pensar para conseguir respirar, faltou-me o ar, faltou-me o chao. Cai, cai redonda na areia. O mundo tinha-me espetado a maior facada que podia espetar. bati-lhe tanto, julguei-o, martirizei-o por querer e ter optado passar por tudo sozinho até ali. Fugi da beira dele correndo para beira-mar nem sequer olhando para trás, para ele. A minha vontade era entrar mar dentro e esperar que este me engolisse para que nao fosse obrigada a sofrer com ele, a ver a pessoa que mais amo sofrer ainda mais, nao me sentia capaz de tal. Chorei, chorei como já á anos nao chorava, deixei que tudo se confundisse na minha cabeça, ali estava eu com as maos nos bolsos a querer fugir do mundo e sem conseguir encarar a pessoa que mais me amava e que eu mais amava, sem conseguir olha-lo nos olhos e perguntar o que sentia. Estava longe dele, estava longe do mundo, o mundo nao me pertencia naquele momento. Depois de me recompor, olhei para trás tentando encontra-lo, tentando perceber se tudo aquilo nao era um pesadelo horrivel do qual ia acordar deitada na minha cama, até o ver de bruços na areia com a cabeça nos joelhos e telemovel na mao, perguntas me ocorreram ao ve-lo: "será que ja contara á nossa menina? como ira ela reagir? sera que ja sabe? como se estara a sentir? como é que foi capaz de guardar isto durante tanto tempo? Porque? porque a ele?" entre outras. De repente um impulso e a força do vento cruzou e caminhou por mim... levando-me lentamente até ele, permaneci imovel em frente a si, ele ergue a cabeça e pede-me desculpa... lembro-me de lhe responder apenas "nao tens culpa"... ele com ar sereno e lagrimas a escorrerem-lhe pelo rosto delicado pronuncia: "queres perguntar alguma coisa?" e eu apenas lhe respondi entre soluços e lagrimas "tanta coisa e nada ao mesmo tempo, amor"... ele com um gesto me indica para me sentar perto dele, eu fazendo-o, ainda tentando esconder o arraso em que estava perguntei tudo o que queria saber e fiquei incredula com a tamanha informação que ele possuia... descobri que nao havia muitas esperanças e que a operaçao e o transplante nao eram solução.... descobri o verdadeiro homem que sempre tive ao meu lado, com a sua força a sua ingenuidade o seu caracter. E sorri-lhe, disse que iamos superar tudo juntos, sem nunca desistir porque como o irmao dele dizia sempre "A Esperança é a ultima a morrer". Os meses a seguir existiu tudo e mais alguma coisa... ele superou, ele sofreu, ele sorriu, ele chorou, ele teve apoio e acima de tudo e mais importante ele apoiou, nunca mostrou restia de querer desistir, nao se deu por vencido, nunca julgou ninguem por tudo o que lhe acontecera, nunca pediu justifiações nem se martirizou, acima de tudo o meu Tiago Mata viveu. Sei que foi feliz, teve a sua filha (mesmo que nao seja de sangue, sempre a considerou tal), teve a sua irma/afilhada, conseguiu salvar vidas enquanto nadador-salvador, ajudou a familia, saiu com amigos, resolveu todos os problemas e acima de tudo deixou todos os que o conheceram com um orgulho imenso da pessoa que era. E hoje, todos nós choramos pela sua partida mas também todos nós nos orgulhamos e sorrimos por o ter conhecido. Hoje sei que tudo aquilo em que me tornei é em parte devido ao teu enorme e grandioso exemplo de vida. Obrigada por quereres que fosse eu a Mulher da tua vida mas mais importante ainda Obrigada por me teres feito sentir a mulher mais importante do mundo e por tu seres, para sempre, o melhor Homem do mundo e o homem da minha vida!
Não foi o que aconteceu que te dira apagar da minha memoria, alias só irei guardar o teu testemunho para ultrapassar tudo o que na vida me aparecer! Não foste o meu fim, mas foste sem duvida o meu inicio meu amor. Continuas bem aqui <3 presente no meu coração, hoje e sempre!
Amo-te muito Tiago Mata. O verdadeiro herói, aquele que ninguem destruiu e ninguem é capaz de superar a sua força.
Obrigada por tudo meu puto.

SoraiaMontes
com saudades do melhor homem do mundo.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Não é por vontade, é por necessidade.


Estou num perfeito dilema! Não é novidade para ninguem se disser que sou demasiado complicada, que penso de uma maneira muito calculista, no sentido de "maturidade", cresci bem depressa, como dizem... nao deixo que nada me fuja do controlo e quando isso acontece quem foge das situações sou eu, não sou fácil e nunca foi meu objectivo se-lo... senao vejamos: se fosse facil muita gente ia usar abusar e deitar fora, sendo como sou... poucas pessoas se aproximam de mim e isso dá-me margem para não me magoar, para estar atenta a quem me rodeia não no intuito de nao confiar em ninguem mas no intuito de me proteger de toda a gente... se é que me faço entender. Sempre fui julgada, criticada, humilhada mas nunca mostrei parte fraca, um sorriso foi sempre sempre (e sempre) a minha maior e melhor arma. Derrotei cada obstaculo assim... encarando de cabeça erguida, olhar confiante mas um enorme aperto no coração! Ultrapassei obstaculos pequenos e obstaculos que me fizeram chorar, gritar e por vezes odiar-me a mim propria por ser incapaz de demonstrar aos outros o que realmente sentia... mas sempre fui assim "feita de fibra", ja dizia a minha avó! Com o tempo fiquei cada vez menos capaz de perceber os que demonstravam as suas fraquezas para quem quisesse derruba-los faria-o num ápice... sempre guardei as minhas dores, sempre fingi estar bem quando por dentro tinha o coraçao feito em pedaços pequenininhos, sempre pensei que nao me adiantaria de nada lamentações portanto o que veem é e será sempre o meu sorriso, a minha alegria falsificada, o meu humor drastico, o meu riso estonteante e o meu olhar? Esse ainda é o espelho da minha alma, até ver.
Não sou assim por vontade, sou o por necessidade.
Quanto menos souberem, menos teem capacidade de te atacar e magoar.
Mas a verdade é que quem me conquista, tem acesso em primasia a todos os recantos da minha alma, até me magoarem porque perdoar? A vida ensinou-me a não faze-lo porque um dia tudo o que poderia perdoar poderia ser utilizado contra mim, assim não. Pois eu sei todos os erros que ja me cometeram, assim como sei os que ja cometi mas acima de tudo valorizo o bem que me fazem e a essas pessoas? Tudo o que lhes possa dar, será pouco.
Será tao pouco quanto o numero que estas são, uma mão deve chegar para os contar. São poucos mas valem por todos no mundo.
Obrigada.


SoraiaMontes

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

sonhos, uma forma de cair.

Deixou de valer a pena sonhar!

Não escrevo á muito tempo, pelo que já reparei, mas tambem nao será agora que o vou fazer. Só digo isto: sonhar? só se quiseres matar o teu interior. a dor do "não" é maior que a dor do "nao tenho nada para sonhar" as vezes é melhor assim, nao planear, nao imaginar, nem sequer pensar.

Já tu proprio dizias: "Encara a realidade, porque é a unica certeza que tens!"

domingo, 15 de janeiro de 2012

isto é tudo o que nao consigo explicar!

passou muito tempo desde que os nossos olhares se cruzaram pela primeira vez e no primeiro instante eu percebi que não é o tempo que determina a força de uma amizade. Hoje sei que tenho razão quando digo que o tempo ajuda a conhecer uma pessoa mas a importância que lhe iremos dar fica determinada nos primeiros dias, aconteceu connosco isso.  Agora que revejo o nosso passado e analiso o nosso presente reparo que até hoje ainda ninguem percebeu a essencia da nossa amizade e o porquê de conter tanta força com ela, volto a pensar que nao entendem mas também nao precisam de entender porque nós sabemos aquilo em que consiste. Todos os momentos em que uma se deixou cair, por falta de forças, a outra sempre esteve lá... com um abraço, um beijinho meigo ou a palavra certa ou menos certa estivemos lá: tentamos, analisamos, acarinhamos e tentamos subir e recuperar sempre as forças perdidas! A verdade é que ao longo dos tempos e devido á estupida mania que as pessoas teem de generalizar e meter-se na vida dos outros foi sempre apontado-nos o dedo, pensando ver aquilo que realmente nunca viram, dizendo que eramos coisas que nunca fomos e nunca nos pensou pela cabeça... assim é a sociedade em que vivemos e isso nunca nos abalou a amizade, aliás mantivemo-la cada vez mais forte e unida.
Sempre ultrapassando obstaculos, sem nunca desistir.
E hoje? que é feito de nós? que somos hoje? que se passa na nossa amizade?
Começamos a desistir rapidamente daquilo que, ainda, nos faz tão feliz, que nos dá forças e formas de sobreviver a esta sociedade corrupta, intrigista e por vezes desumana. Estámos mais vulneráveis e caimos com maior rapidez, isto faz com que queiramos o nosso porto de abrigo mais perto de nós, para ter a certeza que continuas aqui... sempre que preciso, sempre que caiu... por vezes páro a pensar que exigo de mais, mas tenho esta personalidade estupida: sou teimosa, sou orgulhosa, sou reservada, sou dependente de quem me faz bem e nunca espero o mal das pessoas, mesmo sabendo que todos cometemos erros, isto é o que dá julgar as pessoas perfeitas, julgar-te assim, aceitando todos os teus erros, perdoando-os mas no fim nunca os esquecendo porque como nós dizemos "nada se esquece".
Sabes, as vezes perferia nao ser assim, facilitava-me a vida pensar que o passado fica no passado e no presente nada o deve impedir de ser o que quer ser mas acho que isso estaria a fazer com que a minha vida fossem apenas curtas-metragens em que nao ha ligaçoes entre elas quando ha. Tudo aquilo que vivemos no passado, condiciona e condicionará sempre o nosso presente, é com ele que conseguimos fazer escolhas, tomar decisões e acreditar que é possivel continuar e acreditar que tudo tem uma razão. Caimos mas a verdadeira essencia de uma amizade é erguermos com maior força, maior certeza, maior cuidado e mais... dedicação e preocupação porque se caimos uma vez estamos mais vulneráveis a novas quedas. Mas quando o amor existe a amizade mantem-se. Erramos mas tambem perdoamos.
ÈS a minha melhor amiga e por mais casmurra que eu possa ser o sentimento de carinho e principalmente de preocupação e amizade está e estará sempre aqui, para ti.
"Há amigos e amigos" tu és mais que amiga, és a minha melhor amiga.
Lutamos por esta amizade, desculpamos, surpreendemos (como ontem o fizeste *.*), falamos e resolvemos. Obrigada Ana F.
Dois anos nao se apagam com simples tentativas de afastamento, mas quebram obstaculos e tornam-nos mais frageis perante as certezas que ficam em causa, mas se a vontade é acreditar. Então eu :
Acredito!


SoraiaMontes

sábado, 7 de janeiro de 2012

balanço?!

Já é quase como uma tradição desde que criei o blog, fazer um balanço do meu ano sempre que decorre a passagem para um novo, a verdade é que ainda nao fiz a de 2011 e a vontade é pouquinha, admito.
Mas cá estou, a tentar faze-lo... ao contrario dos ultimos dois anos, acho que pouco me lembro do que se passou neste pelo menos concretamente mas ca vou tentar...
Em janeiro, comecei o novo ano com os mais importantes na minha avó, correu tudo bem e tinha naquela noite uma esperança enorme que o 2011 fosse em tudo melhor que o ano que ja tinha decorrido, aquelas esperanças que toda a gente tem, digamos! Nunca pensei que fosse viver momentos que vivi, tinha o meu namorado comigo, os pais dele que gostam de mim... tudo corria bem, tirando a doença que o acompanhava e nada conseguiamos fazer para que isso nao nos assombrasse, sabia que sobretudo 2011 seria um ano de luta e foi. Em Janeiro, ele começou com os tratamentos e foram momentos arrasadores, choro, tristeza, esperanças, momentos em que uma migalha vencida era uma vitoria digna de ser festejada, diziamos que viviamos dia após dia. Em fevereiro aconteceu o pior que me podia acontecer, o meu namorado partiu... os meses a seguir nao foram nada faceis, tirando pequenas alegrias como a minha afilhada dizer as primeiras palavras, dar os primeiros passos, o seu irmao mais novo ter sido considerado o melhor aluno da escola, a equipa que ele treinava ter sido campea e terem-lhe feito uma homenagem, tudo ia acontecendo e parecia que estavamos tao em baixo que nada era capaz de nos dar a comum alegria de viver, mas sempre fomos sobreviventes e a passo de caracol fomos levantando a moral como ele sempre desejou, vivemos por ele e de certo modo com ele.
Tivemos as nossas recaidas mas tambem conseguimos aguentar-nos e apoiar-nos naqueles que mais nos acompanham neste momento, descobri tambem em 2011 quem sao os meus verdadeiros amigos, aqueles que foram para a universidade, ficaram para tras ou ate mesmo continuavam perto de mim, pelo menos fisicamente deu para entender quem seriam os eternos, aqueles que o tempo passa, as situaçoes mudam, as coisas acontecem mas eles permanecem, confesso que tive surpresas mas tambem desilusoes enormes. A minha melhor amiga continua a mesma e espero que assim continue por muitos mais anos, foi parte essencial da minha vida ao longo destes (dificeis) tempos e tudo aquilo que eu precisava ela la esteve e está. Fiz 18 anos e nada mudou, esperava receber a carta mas a crise nao me fugiu e por isso a carta so as que aparecem no correio mas noventa por cento delas sao contas para pagar, como é claro.  Existiram discussoes com os meus pais e isso creio que nao mudara tao cedo, temos feitios iguais o que nos faz chocar muito uns com os outros. Soube que  a familia ira crescer ainda mais em Março com mais uma prima a caminho, o que me deixa radiante mas reticente porque a minha tia mora em França. Estou, finalmente, no 12º ano, a treinar na equipa da escola. O que parece uma coisa sem importancia mas nao é, porque futebol nao é uma opçao é uma escolha de vida e nao desisti do meu sonho, o que é um passo importante para mim. Ainda tenho esperança de ser madrinha (de um menino era perfeito +.+) ... levei a minha melhor amiga a surfar e ainda hoje considero que todos os esforços foram compensados pela sua alegria, pelo seu espanto e pela presença do seu sorriso e olhar brilhante, ainda digo que foi a melhor coisa que podia ter feito. E tambem ao faze-lo conheci um lado de um rapaz que nao pensei que algum dia viria a conhecer, dai nasceu um pequeno encantamento que, felizmente, nao passou disso mesmo! Comecei a aproximar-me do irmao do meu namorado e descobri nele um refugio, um porto-de-abrigo onde posso embarcar, descobri um coraçao bom, puro e extremamente carinhoso ao ponto de adoptar um menino de 6 meses quando apenas ele tem 23 anos, nao é toda a gente que o faz e eu tenho muito orgulho em o conhecer e ter.
E pronto, acho que o resumo de 2011 está todo :) nao sei que mais possa acrescentar mas tenho noçao que ainda fica muitooooo por dizer, afinal um ano tem 365 dias, fica sempre muito por acrescentar.


Bom 2012 e fujam o mais possivel da crise ;)


SoraiaMontes

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

autor desconhecido mas uma grande verdade escrita

Autor desconhecido, mas concordo em tudo com o que escreveu! :)

"Às vezes é preciso aprender a perder, a ouvir e não responder, a falar sem nada dizer, a esconder o que mais queremos mostrar, a dar sem receber, sem cobrar, sem reclamar. Às vezes é preciso respirar fundo e esperar que o tempo nos indique o momento certo para falar e então alinhar as ideias, usar a cabeça e esquecer o coração, dizer tudo o que se tem para dizer, não ter medo de dizer não, não esquecer nenhuma ideia, nenhum pormenor, deixar tudo bem claro em cima da mesa para que não restem dúvidas e não duvidar nunca daquilo que estamos a fazer. E mesmo que a voz trema por dentro, há que fazê-la sair firme e serena, e mesmo que se oiça o coração bater desordeiramente fora do peito é preciso domá-lo, acalmá-lo, ordenar-lhe que bata mais devagar e faça menos alarido, e esperar, esperar que ele obedeça, que se esqueça, apagar-lhe a memória, o desejo, a saudade, a vontade. Às vezes, é preciso partir antes do tempo, dizer: aquilo que mais se teme dizer, arrumar a casa e a cabeça, limpar a alma e prepará-la para um futuro incerto, acreditar que esse futuro é bom e afinal já está perto, apertar as mãos uma contra a outra e rezar a um Deus qualquer que nos dê força e serenidade. Pensar que o tempo está a nosso favor, que a vontade de mudar é sempre mais forte, que o destino e as circunstâncias se encarregarão de atenuar a nossa dor e de a transformar numa recordação ténue e fechada num passado sem retorno que teve o seu tempo e a sua época e que um dia também teve o seu fim. Às vezes mais vale desistir do que insistir, esquecer do que querer, arrumar do que cultivar, anular do que desejar. No ar ficará para sempre a dúvida se fizemos bem, mas pelo menos temos a paz de ter feito aquilo que devia ser feito. Somos outra vez donos da nossa vida e tudo é outra vez mais fácil, mais simples, mais leve, melhor. Às vezes é preciso mudar o que parece não ter solução, deitar tudo a baixo para voltar a construir do zero, bater com a porta e apanhar o último comboio no derradeiro momento e sem olhar para trás, abrir a janela e jogar tudo borda-fora, queimar cartas e fotografias, esquecer a voz e o cheiro, as mãos e a cor da pele, apagar a memória sem medo de a perder para sempre, esquecer tudo, cada momento, cada minuto, cada passo e cada palavra, cada promessa e cada desilusão, atirar com tudo para dentro de uma gaveta e deitar a chave fora, ou então pedir a alguém que guarde tudo num cofre e que a seguir esqueça o segredo. Às vezes é preciso saber renunciar, não aceitar, não cooperar, não ouvir nem contemporizar, não pedir nem dar, não aceitar sem participar, sair pela porta da frente sem a fechar, pedir silêncio, paz e sossego, sem dor, sem tristeza e sem medo de partir. E partir para outro mundo, para outro lugar, mesmo quando o que mais queremos é ficar, permanecer, construir, investir, amar. Porque quem parte é quem sabe para onde vai, quem escolhe o seu caminho e mesmo que não haja caminho porque o caminho se faz a andar, o sol, o vento, o céu e o cheiro do mar são os nossos guias, a única companhia, a certeza que fizemos bem e que não podia ser de outra maneira. Quem fica, fica a ver, a pensar, a meditar, a lembrar. Até se conformar e um dia então esquecer."